sábado, 16 de junho de 2018

Palpites e Expectativas | FINAIS | CPF e CPP 2018


Entre as garotonas, duas equipes que nunca viram a cor da taça. Entre os cara, a terceira edição seguida da final que o Brasil já se acostumou a ver.

Copa Patrícia Poeta - IML x THC





Amizade é amizade, jogo é jogo.
A final da décima edição Copa Patrícia Poeta nos reservou a reedição de um dos jogos mais emocionantes do torneio. Times pernambucanos perderam o posto de clássico das emoções depois que presenciamos o embate entre IML e THC na Copa Patrícia Poeta. No único evento onde a rivalidade feminina é permitida (e muito bem posta), as jogadoras sabem o potencial uma da outra e aumentam a esperança para o título.
O THC chega para sua segunda final sem o mesmo favoritismo que tinha antes do início da peleja. As cinzas, que não se acostumou muito bem com o campo do Internacional, sentiu a diferença do ano passado pra cá, onde trocaram as vitórias de goleada pela humildade (e pelo cansaço de correr o campo inteiro).  Camila, Júlia e suas amigas do barulho foram ofuscadas por uma luz amarela chamada IML. No único jogo em que perderam, de apenas 1x0, as maconheiras tentam desde então usar isso como combustível em vez da substância ilícita pra ver se conseguirão segurar o ataque que é Lunath, duas jogadoras que funcionam tão bem juntas que seria errado dissociar uma da outra. 
Seria esse ano o da redenção para as recém-veteranas? Afinal, ainda carregam o amargo do 1x0 na final de 2017. Traumas passados que podem ser fantasmas ou aliados para Camila, Júlia, Samantha, Giovanna e Agnes - escalação do ano passado e possível para de hoje. 
Rivais nos gramados e candidatos a esponja etílica
Enquanto isso, voltando ao presente, as confiantes coveiras fizeram por merecer durante todo o campeonato se mostram um potencial de garantia das próximas finais também. Se não bastasse o ataque Lunath, contamos ainda com Sophia no gol - que dispensa comentários, Joyce na zaga (que consegue transformar seus gritos fora de campo em corrida) e Helo, sempre mantendo as conversas dentro de campo talvez até pra desequilibrar o adversário. 
Mas, parafraseando minha ex, certo dia ela disse: “quem ganhar ou quem perder nem vai ganhar ou perder.  Vai todo mundo perder”, claramente representando os corações divididos tanto na torcida, quanto entre as comadres jogadoras.


Palpite: SANGUE



Copa Paulo Francis - MBP x BJU

Wagner está ansioso para partida de despedida de logo mais.
Marlon canta serenata de amor para acalmar goleiro Douglas
Um duelo CPF raiz, casca grossa. As turmas mais velhas da CPF se enfrentam pela terceira vez consecutiva, algo inédito no torneio. Com esse jogo, o nono, as equipes igualam PCF x FDM (no feminino) como jogo com mais partidas contando tanto a CPF como CPP. O confronto é recheado de tabus e estatísticas. Com a classificação para a quarta final em sua história, o BJU se tornou o time que mais vezes foi à decisão da Copa, apesar de ter pipocado na maioria (curiosamente menos em 2014, também ano de Copa do Mundo). Pelo lado azul, os caninos, que já haviam batido um tabu de 11 anos em 2017 (dois titúlos consecutivos), buscam se tornar os primeiros tricampões da história do torneio, que aconteceria todas as vezes do arquirival negro. Matemática à parte, o lado psicológico deve ser fundamental na partida de logo mais, tanto para os flopados, que almejam há tempos um título em cima dos azulinos, quanto para os bidus, que tem a ambição de confirmar a freguesia histórica. Fatores não faltam para esquentar o duelo. Além da despedida azul, o Ex-presidente Wagner e o DJ GG Embrazado empataram na ponta da artilharia no último fim de semana, e duelam não só pelo título, mas pelo posto de goleador da edição. O BJU vem de uma campanha de recuperação, que  foi salva pelo gongo, que atende pelo nome de THC. Sorte ou azar? Não sabemos ainda. Mas disputar a quarta final na CPF é, além de instigante, um momento de absoluta certeza de que somos um bom time. “BJU tem camisa”, como diria o maestro Thiago Vieira. Além do Ganso Alvinegro, o BJU conta com os passes cagados de Hugo, com as jogadas bem executadas do elenco composto por Ziani, Guilherme, GG, Mário Jr. Douglas, Paulo Passos e  os gritos de Marlon. Do lado azul, uma campanha mais tranquila, líderes isolados desde a primeira rodada. Mas com a baixa da auseência de Gulherme Mago, que inventou de fazer alguma coisa em Fortaleza. Revirando o Baú da CPF, lembramos que o Mago também faltou na final de 2016, vencida nas penalidades pelos cachorros. Independente de resultado, teremos novamente um eletrizante e belísssimo jogo, recheado de respeitosas dedadas no olho e gritos histéricos das duas torcidas, que se encontram pela última ves em sua história.

Palpite: Gritaria, dedo no cu, Marlon gritando e gente chorando no final.

Palpites e Expectativas | Decisão do Bronze | CPF e CPP 2018


Jogo de comadres marcadado por despedida e reedição de um dos melhores jogos da copa entre os marmanjos. Quem vai pegar esse bronze?


Copa Patrícia Poeta - MBP PCC





Com laços fortes nos dois times, Ludelmas explica para Babi
sobre opção de jogar pelo MBP. "Elas são mais legais", diz.
Depois de quatro vice-lanternas e uma lanterna, as idosas da Turma da Mônica encerram o ciclo na Copa Patrícia Poeta com a melhor participação no torneio. Reforçadas da agregada Alice Duque, o MBP feminino foi a surpresa da CPP deste ano, chegando na última rodada do torneio com chances matemáticas de classificação para a final. Antes do apito inicial, está prevista a performance da música "Ter um Amigo", acompanhada de uma ciranda entre as atletas, isto se elas lembrarem disso na hora. O jogo da despedida azul não poderia ser contra uma equipe mais adequada. Herdeiras do mimimi de bar, o PCC chega à sua quarta decisão de bronze consecutiva. Ou seja, literalmente todas as copas disputadas pelas terroristas. Nem as próprias jogadoras verdes aguentam mais a disputa pelo bronze, sendo a medalha de terceiro um objetivo secundário. "O que realmente importa é o tri da esponja etílica", elucidou Camila Alves, eleita recentemente a melhor estagiária da Rede Globo em linha reta. "Graças a deus um jogo de boa", foram as palavras aliviadas de Luana Delmas, agregadas dos dois times. Apesar da brodagem, o
A cantora Katarina Nápoles se aposenta dos gramados para se
dedicar exclusivamente à carreira musical
jogo não deve ser só de afagos e carinhos. O PCC contará com a Santíssima Trindade completa de volta. Dandara e Welda voltam ao time, após viajarem para algum lugar, e fazem companhia a Luane na despedida da equipe em 2018. Num embate etílico como esse, o resultado fica em segundo plano diante da simbologia do encontro. Uma passada de bastão, ou melhor, de garrafa.

Palpite: Garrafas jogadas pelo campoe e choradeira no final.







Copa Paulo Francis - THC MCB





Camila consola goleiro Renan, Será que essa cena
voltará a acontecer?
Se na decisão da CPF teremos um confronto entre as turmas mais velhas, as turmas mais bebezinhas vão fazer a disputa pelo terceiro lugar. Depois de uma partida travada contra os calouros favoritos para a final, o THC encontra seu destino na disputa por esse bronze na CPF. Lanternas em 2017, era muito improvável a chegada dos maconheiros até aqui, mesmo depois do empate contra o BJU, na estreia do campeonato. Depois de diversos percalços e inúmeras mudanças no elenco, o time cinza chegou a uma histórica reviravolta no último momento da partida contra o MCB. Frustrou o sonho calouro de disputar uma final e ainda encaixou o BJU na sua quarta final no curso. Um plot twist digno de filme de tiro com Bruce Willis e John Travolta, com o vilão sendo o Ney Latorraca (?). Com uma escalação desconhecida até o momento, já que o time não tem jogadores fixos e trabalha com a rotatividade do mercado, proporcionada pela nova reforma trabalhista que permite a contratação desordenada de funcionários terceirizados sem direito aos bônus salariais, o THC chega na International Arena guardando uma surpresa ou alguma confusão.
Calouro Uga Uga não quer repetir os erros da semana passada.
Resta saber quem poderá ajudar os maconheiros nesse momento importante de sua história na competição Cepê-efeana. Já entre o beges, a promessa de um time engajado e com bons resultados foi adiada para o próximo ano, mas não é justo desmerecer todo o trabalho do MCB até aqui. Venceram o queridinho flop BJU, apertaram o bicampeão MBP, afinaram contra IML e PCC, e tropeçaram feio contra o THC, que inclusive é seu próximo adversário numa partida que pode ser um revide do último jogo desastroso contra os maconheiros. É esperada uma partida onde o MCB vai cumprir com a tabela e garantir seu terceiro lugar sem cometer as mesmas falhas do primeiro confronto, porém, é de se esperar que depois de todo o esforço feito pela equipe cinza, não seja assim tão fácil vazar o paredão composto por Raí, Vinigol, Carpina goalkeeper, cunhado e, talvez, auxílio de Camilla Sousa, que também disputa a final da CPP, por isso pode ser poupada do jogo extra. Renan, Dang’none, Uga-uga, Parin, Pedro bala, Ytalouco de doce, Tapioca e Zé Gusmão podem chegar com tudo ou pipocar de novo diante do irritante THC. Isso veremos hoje à tarde, na International Arena. A busca pela redenção é certa, mas o pódio ainda é uma incerteza.

Palpite: Sei lá.




sexta-feira, 15 de junho de 2018

Resenhas | 5ª Rodada | CPP 2018

Sem surpresas, a quinta rodada da CPP teve mais WO das morsas, gols de Camila e IML sem tomar gol. A surpresa foi o primeiro e único gol das calouras nesse ano.

THC 3x1 MCB
Registro do grande momento.
As cinzas afugentaram a má sorte e carimbaram o passaporte para a segunda final seguida, novamente como segundas colocadas. Mas, para as meninas lombreiras, as coicidências tem que parar por ai, se não quiserem repetir o fracasso do ano passado. Sem dormir, há 2 semanas pensando na Copa, Camila tem apostado em aulas de Yoga ministrada pela própria Júlia, referência nesse quesito no time canábico. E os resultados vieram. Depois do jogo a alvirrubra alcançou a artilharia isolada, com dez gols, e tem tudo para receber novamente o prêmio esse ano. Pelo lado bege, as cristãs se despediram perdendo com estilo, ao marcarem seu primeiro e único gol na CPP de 2018. "Foram muitas treinamento, muitas análises táticas, muitas conversas sobre estratégias para alcançarmos nosso objetivo. Mas agora vamos agradecer no bar", disse Manu, após o jogo.


MBP 0x3 IML
Foto aleatória e sem foco.
Embaladas pela boa campanha no certame de 2018, as biduzetes partiram para cima das amarelinhas como em busca da vitória com o objetivo de encaminhar o passaporte para a grande final. As azuis deram trabalho a defesa zumbi, conseguindo até acertar o poste da Goleira Sofia. Nos contragolpes, a dupla Lunath buscava abrir o placar porém sem sucesso. Desfalcadas de Iris e Suzana, as coveiras promoveram a estreia de duas atletas na última rodada. Débora e Manu se revezaram jogando no setor defensivo do time, reforçando a marcação e auxiliando na criação de jogadas. No segundo tempo, porém, a partida que se mantinha equilibrada acabou deslanchando para um dos lados. O time legista conseguiu vencer a defesa liderada pela arqueira Marina e fazer os três gols que garantiram a vitória. Com uma campanha quase perfeita, o IML chegou a disputa da final após fazer 13 pontos, com 4 vitórias, um empate, nenhum gol tomado e melhor ataque da competição. As veteranas, por sua vez, conseguiram em seu ano de despedida, alcançar a inédita disputa de terceiro lugar contra o PCC, o que gerou uma surpresa positiva para um time que promovia o clássico do WO contra o BJU. Serão fortes emoções envolvendo os dois conjuntos no próximo sábado na Internacional Superstar Soccer Deluxe Arena.

BJU 0x3 PCC (W.O)


quarta-feira, 13 de junho de 2018

Resenhas | 5ª Rodada | CPF 2018

Dois massacres e uma nova rivalidade surgindo na CPF. A última rodada da primeira fase foi marcada pelos calouros sendo calouros e pela confirmação da terceira final consecutiva entre BJU e MBP ninguém aguenta mais.


THC 1x0 MCB
Marlon e Vinigol em momento de amor após o final do jogo.
Uma nova rivalidade surge nos campos do Internacional Superstar Soccer Deluxe. MCB e THC fizeram um jogo encardido, brigado, disputado a cada bola e cheio de gritos e chiliques. O árbitro ainda foi de boa, pois poderia ter amarelado os 10 jogadores em campo, mais os reservas e a torcida. Teve peixeirada no bucho, rasteira, carrinho, dedo no olho (não disse qual), enfim, foi um show. THC contava com o reforço de Douglas(BJU) no gol, que catou até pensamento. Vários chutes de Pedro Calouro, Parin e cia pararam nas mãos, peito e pernas do paredão. Várias chances criadas, mas nenhuma entrou. E como diz o poeta, "time que não faz, leva", o castigo veio para os beges. Em uma das boas chances criadas pelo THC no toque de bola da trinca CRV (Camila, Raí e Vinícius), o pequeno polegar dos cinzentos saiu na cara de Renan e bateu cruzado, fazendo o gol solitário da partida. O resultado tirou o MCB da final e levou os filhos de Dória à decisão do terceiro lugar, contra os próprios calouros. Teve invasão de campo por parte do impeachmado Marlon Diego, que abraçou todo os jogadores do THC e agradeceu em forma de propina e litros de gasolina pela vitória. Resta-nos esperar um jogo mais tranquilo na decisão do terceiro lugar, mesmo com toda a sede de vingança por parte do time calouro.


MBP 8x1 IML
Um dos destaques foi a volta de Maik aos gramados. Por
outro lado, o Mago fez sua despedida antecipada da CPF.
"O que está acontecendo?", levantou perguntando o goleiro Yago Menotti após o choque com Henrique, jogador dos bidus. Ainda meio zonzo, o guarda-meta amarelo pensava ser pesadelo o placar, mas não era. O último jogo classificatório do MBP contou com um show do ataque azul. A partida que era fundamental para a classificação dos anciãos da CPF para a final, ficou fácil logo no início quando antes da metade do primeiro tempo, o cachorro azul do Maurício de Souza abriu o placar. Desfalcado de 3 importantes jogadores (Rostand, Vitor e Diego), o IML pareceu ter esquecido seu futebol na churrasqueira. Saindo perdendo de 2x0, os amarelinhos tentaram reagir no segundo tempo, mas sem sucesso, aliás, muito pelo contrário, os gols foram se acumulando até que o goleiro Sibito fechou o massacre. 8x1. E só teve o golzinho de honra graças a Luane, que tá comendo a bola na CPP e resolveu ajudar o time masculino enquanto não saía mais churrasco. O saldo do jogo é que o MBP se classificou para sua terceira final consecutiva, enquanto que para os coveiros resta apenas depositar sua confiança no time feminino que luta pelo título da CPP. Após o jogo o Capitão Klisman afirmou: "Pelo menos, o placar maldito foi evitado com sucesso".


BJUx 10x0 PCC
Jeffrey e GG em momento de descontração.
Após o término de MCB 0x1 THC, os membros da comissão técnica e jogares do BJU já haviam comemorado antecipadamente a classificação para a final. E realmente foi o que aconteceu. Precisando de uma vitória simples contra um dos piores times da história da CPF, as morsas não tomaram conhecimento dos bêbados verdes e aplicaram a maior goleada da Copa neste ano, superando o 7x0 do MBP contra o próprio PCC. Os calouros, que dependiam de um tropeço bjuense, até esboçaram uma torcida, mas morgaram quando Mário e GG fizeram 89 gols cada. Sem dar chances ao flop, os BJU pressionou o tempo todo, enquanto a zaga do PCC, capitaneada por MC Bruninho (que perdeu o jogo, mas perdeu com estilo com seu belo lenço estampado na cabeça) e Lúcio Malfoy pensavam na festa da semana que vem. O arqueiro Douglas poderia ter se perdido e ido parar na Arena Jockey, assim como ocorreu na última rodada, que não faria diferença alguma. Um grande indício do nível bastante alto da partida foi o primeiro hat-trick de Hugo Lew, que chegou a 4 gols na competição e ocupa o terceiro posto da artilharia. O PCC chega no próximo sábado como sempre, apenas para beber, enquanto o BJU faz sua quarta final, tercera consecutiva contra o MBP.

domingo, 10 de junho de 2018

Artilharia | 5ª Rodada | CPP 2018

A decisão pelo título pode estar indefinida. Mas no último sábado a disputa pela artilharia se encaminhou. Com mais um hat-trick, Camuller abriu 4 gols de vantagem para SoNath, principal concorrente. Destaque para Manu, que marcou o primeiro do MCB,

10 gols
Camila (THC)

6 gols
SoNath (IML)

5 gols


Luane B (IML)

4 gols
Luane (PCC)

3 gols
Alice Duque* (MBP)


Júlia (THC)

2 gols
Amanda (MBP)*

1 gol
Laranaoclara (MBP)
Camila* (PCC)
Lívia Caloura* (BJU)
Manu (MCB)

*Agregada

Artilharia | 5ª Rodada | CPF 2018

A rodada simplesmente colocou fogo na briga pela artilharia. Pedro Calouro, que liderava desde o início, vacilou e foi ultrapassado por GG e Wagner, sem falar em Mário Bros que empatou com o Camisa 10.  O real destaque vai pra Luane B, que se tornou a primeira garotona a marcar um gol no torneio "dos cara".

7 gols
GG (BJU)
Wagner (MBP)




6 gols
Pedro Calouro Camisa 10 (MCB)
Mário Bros (BJU)

4 gols  
Hugo (BJU)

3 gols  
Guilherme (BJU)
Igor (MBP)
Henrique (MBP)

2 gols
El Mago (MBP)
Heitor (MBP)
Rai (THC)
Lucas Carpina (THC)
Vinícius (THC)

1 gol
Amauri (PCC)
Cunhado* (THC)
14 (IML)
Ícaro (MBP)
Vinícius (MCB)
Dettogni (MCB)
Jeffrey (PCC)
Matheus (PCC)
Ziani (BJU)
Luane B (IML)
Rafael Sibito (MBP)
*Agregado

Classificação | 5ª Rodada | CPP 2018

Maconheiras e coveiras confirmaram o favoritismo e decidem o título. Além da vitória, as amarelas conseguiram fechar a primeira fase da Copa sem levar um golzinho sequer. Outro destaque é o MBP, que pela primeira e única vez decide um bronze, logo contra o PCC, que já disputa o terceiro lugar há 4 anos seguidos.


Classificação | 5ª Rodada | CPF 2018


Calouros sendo calouros, os beges entregaram a vaga na final para o BJU, que se tornou o time com maior número de finais ao lado do RUN. As morças decidem o título com os bidus pela terceira vez seguida. Ninguem aguenta mais.



sábado, 9 de junho de 2018

Palpites e Expectativas | 5ª Rodada | CPF


A grande expectativa é quanto a definição das finais. Com MBP e MCB na vantagem e BJU no secador. THC e IML duelam para ver quem perde de menos e PCC bebe.


THC x MCB

Raí pede desculpa à torcida.
THC: Fora da final, mas ainda com um pezinho dentro da disputa pelo bronze — mesmo que com uma certa necessidade de uma mãozinha de Deus nesse processo — os maconheirinhos do THC seguem para a última rodada da fase de grupos com sede de vitória. Com um time misto já fixo, escalando Camüller, capitã do time na CPP, os cinzas querem acordar de vez na competição e mostrar que todas as vezes que Raí sentiu dores na coxa no meio de uma partida, era parte do plano para ganhar medalhas no final da competição. Cunhado, Raí, Vinigol, Ranger fantasma de Carpina e Camila podem ser o time escalado para tarde desta sábado. Se o time vencer, leva o BJU para final (isso se esses desgraçados vencerem o PCC), caso perca, ainda assim há chance, se por exemplo o IML perder de goleada. Meu deus, ta confuso demais mesmo. Com uma estratégia semelhante usada pelo Debochados Futebol Clube, em 77, num campeonato de Várzea em Jaboatão dos Gurarapes, o THC investe nos toques curtos e chutes agressivos, mas aproveitando as brechas encontradas pelo flanco esquerdo do time dos calouros. A vontade de vencer é tão grande que nem mesmo Uga-Uga seria capaz de frear o desempenho dos mestres da Ganja? Veremos.

Provável escalação: Camüller, Raí-tentação, Vinigol Vedder, Cunhado (de quem?), Goleiro sorteado na extração das 16h da loteria federal, aguardem.



Calouros continuam héteros.
MCBCom um pé dentro da final e o outro terminando de ter as unhas cortadas para ser coberto pela chuteira, os calouros estão cumprindo o prometido. A goga é chata, mas eles merecem. Com um desempenho que começou ótimo e perdeu um pouco da força nos últimos dois jogos, os filhotes de PCF (sangue de cristo) fizeram o necessário pra avançar pontuando bem no campeonato e podem estar guardando o melhor para a final, que se for contra o MBP, será explosiva (boooom…. explosion!). A partida contra um THC desacreditado, mas altamente competitivo pode dar um toque de emoção e entusiasmo nesta última rodada de grupos. Se perder, dá a vaga para o BJU (se esses desgraçados vencerem o PCC), e acaba com o sonho da estrela caloura. Se avançar, podem estourar uma garrafa de xuca-cola, que desde 2014 que não acontece um negócio desses. Renan garantiu que iria pra final vingar Salah, agredido por Sérgio Ramos na última final da Champions League. Salah será espectador da partida de hoje pela Live do Twitter. O negócio vai ser quente!

Provável escalação: Renan Potter, Pedruca, Parin, Ytalouco de Loló e Uga-uga (sem uso da tornozeleira eletrônica. Hoje será a primeira partida que o jovem joga sem estar cumprindo pena),

Palpite: EMPATEEEE



BJU: Depois de um empate que complicou toda a sua vida na campanha deste ano, o BJU amarga sua quase desclassificação para a final dessa temporada. Se vencer do PCC, pontua, mas não adianta de nada se o MCB e/ou MBP ganharem. No mais, numa alusão graciosa, Marlon é o Tom Hanks no filme a espera de um milagre, IML e THC são enviados de Deus para eliminar MBP e MCB, pecados imperdoáveis cometidos pela humanidade. Mas não só a fé trará resultados. É orar pelo THC e IML irem com as canelas em ótima forma e fazerem um jogo de dar água na boca. No mais, a expectativa é de que o jogo seja honesto, e que GG marque gols suficientes para ser o artilheiro da copa. Mário Jr garantiu “Se eu vencer, não toco mais Djvan”. Depois dessa declaração foram criadas várias páginas nas redes sociais apelando para que o PCC permita a vitória, porque ninguém aguenta mais Mário Jr. cantando “açaí, guardiã, zum de besouro…”.

Provável escalação: GG Salah, Mário Jr., Thiago mago, Guireba, Douglas Paredão. No banco, Ziani fumando um guete, Marlon Secando até pé de pimenta, Paulo Forlán no aquecimento.


O destaque do PCC em 2018 são as chuteiras de Jeffrey
PCCPreocupados com o baixo consumo de álcool durante as partidas, o time do PCC prometeu jogar entusiasmado para tentar dar um Up no consumo de lícitos e ilícitos neste sábado. A explicação é simples, diz Amaury “pessoal jovem, sem tomar uma birita e f1, é inaceitável. Tamo aqui pra ficar tronxo, e tronxo ficaremos”. Sem dar entrevistas desde o incidente envolvendo a ditadura política de Olinda, Matheus Lins apenas deu “legal” com a mão e fez sinal de “cu” ou ok. Não sabemos o que de fato representava. PCC segue sim na luta pelo bronze. Se deus permitir que aconteça, eu me converto. Jogando fácil pelas beiradas e buscando uma vitória que nada ajudará, mas pelo menos atrapalha o BJU, os verdinhos dicas importantes de seu coach Marcelinho, que agora tem uma startup de Ketchups na Itália, em busca de que os italianos usem o maldito molho na pizza. É isto!

Provável escalação: King Joffrey, Amaury ganjaman, #MatheuslinsLivreJá, Brunito e mais alguém na hora lá.

Palpite: BJU


MBP
x IML


Ainda procurando Wagão.
MBP: Derrotados no último sábado pelo maior rival, os bidus vêm com sangue nos olhos para o confronto final da primeira fase contra os zumbis, que estão mais para lá que cá. Wagner que andou meio sumido, disse que vai aparecer no jogo hoje e que se poupará para a partida, arbitrando apenas 84 jogos. Icaro, que marcou um gol nessa edição de CPF, promete dobrar a meta. E o arqueiro Sibito disse que está totalmente recuperado da reimplantação dos dedos da mão esquerda e que o time estará completamente diferente do que foi contra as ovelhas negras. "A nossa expectativa é mandar o IML de volta para a gaveta". 

Escalação: Arqueiro Sibito, cadê Wagner?, Ícaro, Henrique, El Mago e Igor



 IML: Tristes, desapontados e possivelmente bêbados, é o estado atual dos zumbis após se serem capturados para mais um ritual do Ministério Cristão do Brasil. Entre gritos, desmaios e falta de alimentação a base de cérebro, os quase-mortos do IML saíram de campo derrotados e viram suas chances de irem para as decisões do dia 16 partirem para o infinito e além. Caso os legistas consigamalgo semelhante ao Milagre do Rabecão de Berna na noite de hoje, poderão ir para a decisão de terceiro lugar, pelo segundo ano seguido, coisa que nem eles acreditam, já que a principal preocupação é fazer churrasco e comemorar o aniversário do milenar Yago Muralha. Porém, com a notícia do desfalque do camisa 45, Diego "Maracugina" Borges, que chegou pela newsletter da CNN durante a confecção desta nota, o editor passa a acreditar um pouco mais nesse resultado.

Escalação: Muralha Ancestral, Atropelador de Carros, Capitão Klisman, 14 do hexa, Rostand Tatuado, Diogo França e Pisa menos, Maik.


Palpite: MBP e "muita gente bêbada."

Palpites e Expectativas | 5ª Rodada | CPP


IML e THC provavelmente devem confirmar a vaga nas finais. Mas será que os deuses da CPP vão aprontar de novo?

THC x MCB

THC: As cinzentas estão a uma baga de se classificar para a segunda final consecutiva. O triunfo simples garante o THC na final, que pode avançar até mesmo com empate ou derrota, em caso de tropeço do IML contra as azulinas. Mais calmas e ajustadas em campo, as marijuanas se recuperaram do baque que foi a derrota para o IML e seguem visando a vingança nas finais. A grande baixa das cinzas é a ausência de  Mikhaela Solteira, que ao andar na rua twittando que estava solteira acabou tropeçando numa formiga transeunte e fraturando o cortex central esquerdo colateral do dedão do pé direito. Já a formiga não resistiu as ferimentos. "Ainda estou solteira", comentou a zagueira, que está cortada da Copa este ano. 



Provável escalação: Júlia que não é a julia da dupla CaJu; Samantha; Camuller, Júlia e Hanna Montana


MCB: As mocinhas do Movimento Cristão Brasileiro fazem sua provável despedida da CPP neste sábado. As novinhas seguem firme e forte no seu objetivo de cumprirem o papel de calouras e serem goleadas por todas as equipes veteranas desse ano, com exceção do BJU pois esse time nem existe mais. As beges ainda tem uma remota chance de disputar o bronze, mas para isso, além de vencer o THC, que já seria uma doidice, o BJU teria que ganhar do PCC, sendo que o BJU nem time tem.  Ou seja, melhor ficar de buenas curtindo o som de cristo e tomando aquelas com os parça. Quem sabe rola até um golzinho!

Provavel escalação: Goleira que joga de joelheira; Morena de cabelo comprido. Aquela outra de cabelo comprido; Aquela que usa óculos e Manu.



Palpite: THC /  ( imagem bônus: https://goo.gl/tt2f1u )


MBP x IML

MBP: 2018 já é um ano histórico para as defensoras do azul nem tão bebê mais assim. Além de ser o ano de despedida, as bidus vão conseguir pela primeira vez disputar o bronze do torneio. O time que só ganhava do BJU se reforçou com Alice Duque e Luana Delmas, que após 3 anos entraram oficialmente no MBP por uso capião. Ainda existe uma chancezinha de final. Mas ai teria que vencer o IML por 5x0. "Tá de boa pô, pra que tanto estresse no último ano? Agora se Sofia quiser experimentar um vinhozinho antes do jogo é só chegar", disse Marina, após abrir a garrafa com seus próprios dentes. Ausencia confirmada é a da cantora-atleta-social media Katarina Nápoles, que abandonou o time para prestigiar um show do CPM-22 em São Paulo. Já Lindainês falou que vai porque é o jeito.


IML: Que seleção brasileira que nada! A amarelinha que tá empolgada esse ano são as garotonas IML! Indo muito bem obrigado, as defuntas seguem sem levar um golzinho sequer em 2018, mérito da defesa, liderada por Joyce, e, claro, da paredona Sofia, cria da escola de goleiros do Atlético Mineiro. Luane B e SóNath continuam com seu entrosamento malemolente e envolvente, ancoradas na ousadia e alegria, arma principal das amarelas na competição. Podendo perder de até 4x0 e ainda assim se classificar para a primeira final de sua história, as coveiras querem apagar de vez a fama de amarelonas e, se possível, evitar decidir o título nos pênaltis pois ninguem aguenta mais. 

Provável escalação: Sofia 0 Gol; Joysex, Helô, SóNath e Luane B.

Palpite: IML



BJU x PCC

BJU: W.O. Essa é a expectativa para o BJU, que tem grande possibilidade de alcançar um aproveitamento incomparável e ininvejável de 25 derrotas em 25 jogos, ou seja, 0 de 75 pontos disputados, mas quase nada mudará o resultado final das ovelhas negras na tabela, até porque elas precisam vencer o PCC se quiserem faturar a vice-lanterna. A craque do time, Eminews, já prometeu que o time estará em campo, mas não seria a primeira vez que ela diria isso e o time não aparecesse.

Escalação: Alguém que conseguir aparecer por lá.






PCC: As criminosas mexicanas já aceitaram sua triste realidade de, mais uma vez, disputar apenas o terceiro lugar da Patrícia Poetisa. O fato, porém, é que as meninas de Welda, Dandara e Luane 1 têm que estar atentas para não sofrer um revés ainda maior. Se dois milagres acontecerem, elas perderem pro BJU e o THC para o MCB, elas amargam o quinto lugar e sua pior CPP da história. A promessa pra hoje é de voltar a jogar bem, coisa que vem sendo difícil para elas neste ano. Boatos que os esperados retornos da goleira Manu Chuteira Dengosa e da habilidosa Mestre em Comunicação Dandara das HQS podem acontecer nessa rodada, então é esperar pra ver. No caso, pra ver se vai ter jogo.

Escalação: Se o BJU for, Manu Chuteira, Luane 1, Dandara Gigante, Well da Facção e Camila Global.


Expectativa: O time que vai ganhar a pelada do W.O. vai ser o que começar defendendo na barra que fica no lado da entrada da Arena Internacional.

Essa última partida é um oferecimento da Família Maneva.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Hora de saber quem pega quem (que delícia!)


Meme nem um pouco batido.


Chegou o momento de definir quem pega quem (que delícia!) nas finais do torneio mais cheiroso em linha reta da galáxia. Passou rápido, é verdade. Mais um motivo pra a gente aproveitar os finalmentes da CPF e CPP 2018.

Para facilitar as coisas, já que nossos atletas e torcedores de humanas tem uma pequena dificuldade em fazer conta, considerando ainda os niveis de embriaguez, resolvemos fazer o trabalho. Abaixo estão as possibiliades matemáticas de todos os times:

CPF

FINAL

MBP: A vitória simples sobre o IML garante a terceira final consecutiva para os azuis. Os vovôs cachorros até podem ir para a decisão empatando ou perdendo, mas ai complica. Se empatar, precisa que MCB não vença o THC ou que o BJU vença o PCC por até 3 gols de diferença.

MCB: Para os calouros irem à final, o que não ocorre desde 2014, basta a vitória contra o THC. Em caso de empate, os beges precisam que o MBP perca para o IML ou que o BJU não ganhe do PCC.

BJU: O problema das ovelhas negras é que elas não dependem só delas. Além de vencer o PCC, o BJU precisa que o MCB não ganhe do THC ou que o MBP perca para o IML. Em caso de empate entre MBP e IML, o BJU precisa vencer por 4 gols de diferença. Hora de ligar o secador!


DISPUTA PELO BRONZE

O importante é competir

THC e IML: A matématica é simples mas é confusa. Ambos tem 4 pontos com vantagem de 4 gols de saldo para os maconheiros, que também levam vantagem no número de gols marcados (segundo critério de desempate). O que obtiver resultado melhor passa (empate de um + derrota de outro, por exemplo). Caso os dois vençam ou percam, o IML precisa tirar 5 gols de saldo (Exemplo: THC 0x6 MCB; IML 0x1 MBP).

PCC: Sim, os verdinhos tem chance de brigar pelo bronze! Bem improváveis, diga-se de passagem. Para conseguir o feito histórico o PCC precisa que IML e THC percam e tirar um saldo de nada menos que 9 gols dos maconheiros e 5 dos coveiros (Exemplo: PCC 2x0 BJU; MCB 8x0 THC; MBP 3x0 IML). Ou seja, melhor beber mesmo.

Editor escrevendo esse post.

CPP

FINAL

IML: Praticamente na final, as amarelinhas podem perder de até 4x0 pro MBP que ainda assim vão pra final (OBS irrelevante: 5x1, 6x2 dá MBP pelo número de gols marcados). Mesmo que sejam goleadas pelo MBP, o que é bastante improvável, o IML ainda teria uma remota chance ir a final mesmo assim, caso o THC não vença as calouras.

THC: Também com a vaga na final bastante encaminhada, o time de Camila precisa apenas de uma vitória simples para se garantir na decisão. Caso Camila e Júlia faltem e o THC perca ou empate, as cinzentas necessitariam que o MBP não vença o IML.

MBP: As senhorinhas azuis, que nunca nem chegaram a decidir nem bronze, chegam na última rodada com chances de ir pra final! É muito complicado, mas só de chegar até aqui já valeu. Para tal façanha, as cachorras precisam vencer o IML por 5 gols de diferença, o que seria outra façanha. Detalhe que o IML nem gol levou esse ano, mas vai que Sofia resolve experimentar o vinho de Marina? Em teoria o MBP também pode se classificar com vitória simples, mas aí precisaria de um tropeço do THC contra as calouras.


DECISÃO PELO BRONZE

Todas querem "pegar um bronze"

PCC: A vaga na final não veio de novo, mas as verdinhas devem ter a consolação da disputa pelo bronze pela 678 vez seguida. Basta que o THC vença ou empate com as calouras (o que deve acontecer). Mesmo se as calouras aprontarem, a vitória simples do PCC contra o BJU já seria o suficiente.

MCB: Possivelmente, vaga mais improvável de todos os times desse posts. Mas por justiça, já que há a chance matemática, colocamos aqui. Além de vencer o THC, que ja seria um feito enorme, as beges ainda precisariam que o PCC tropeçasse contra o BJU, que não deve nem time ter. Melhor ir beber mesmo ou tentar marcar um gol na CPP pelo menos.


quinta-feira, 7 de junho de 2018

Resenhas | 4ª Rodada | CPF 2018

Se arrastando, os calouros passaram pelo IML e seguem vivos na briga pelo título. O mesmo vale para o BJU, que venceu o rival azul de virada após 4 anos. No clássico das drogas, PCC e THC fizeram um jogo doido.


IML 0x1 MCB

Calouro faz hang loose em comemoração à vitória de sábado.
No confronto entre os legistas e os cor-morta, os mais novos se deram melhor, mas a grande tensão do jogo foi saber como a Síndrome de Borges atingiria o IML. A ausência do idoso em campo permitiu que os amarelados fizessem um bom jogo e até ameaçasse o gol bege em alguns momentos, mas todas as chances pararam nas mãos de Renan. Os calouros fizeram um jogo aquém do confronto contra os bidus na rodada inicial, mas absurdamente melhor que contra os mexicanos na última, provando, assim, que a geração belga bege pode não ser tão superestimada quanto dizem por aí. Com um gol solitário do Calouro Pedro Camisa 10 de Calção do Atlético Mineiro numa falha da defesa IMLana, o MCB teve o necessário para vencer, faturar os três pontos, escutando o que o professor tem pra dizer, se deus quiser. E esse também foi o primeiro jogo que o Calouro Uga-Uga Lutador de MMA em Campo não passou por um fio de ser expulso. Agora, o Movimento Cristão se aproxima da final, precisando apenas de uma vitória contra os maconheiros, enquanto o Instituto Médico, sonhando com a vaga no bronze, joga com os bidus.


PCC 2x3 THC

Camila foi mais uma vez reforço dos sequelados
O baú da CPF recorda que ano passado THC e PCC protagonizaram uma partida acirradíssima e repleta de gols, 13 para ser exato. Este ano, apesar de econômico em comparação, o confronto não se absteve do alto nível de disputa. Dessa vez entretanto, os cinzentos acabaram levando a melhor: 3x2 no placar. Ambos os times possuíam agregados, destaque para os goleiros Wagner (MBP) e Mike (Ex-PCF), que vestindo a camisa de turmas mais novas alimentavam a chance de estender o contrato na competição. Com a bola rolando, o equilíbrio prevalecia, até que a falha de Mike – goleiro do PCC – fez o THC sair na vantagem num chute despretensioso de Lucas Carpina. Se bem que chances para sair na vantagem não faltaram, sobretudo nos pés de Raí – que entre dezenas de bolas na trave, só encontrou a rede após a milésima tentativa, numa cagada inclusive: “sai zika!”, pronunciou agradecendo aos céus. Antes desse momento, os rebeldes ainda mostraram resistência e comprometimento coletivo - gols de Jeffrey e Matheus (de cabeça) - lutando até derradeiro minuto pelo empate, até então desempatado vejam vocês pelo gol de Vinigol – provando o valor do termo “singular” e garantindo a vitória do THC – com reais chances de disputar o terceiro lugar, enquanto o PCC tem que golear o BJU (kkk) para sonhar com o bronze.


BJU 2 x 1 MBP

Apreensivo, Marlon acompanhou o jogo pelas redees.
Quem diria? Os morsas que aparentavam estar mortos, pegaram no tranco e acordaram virados no campeonato. Primeiro uma vitória convincente diante do IML, por 5x0, e neste sábado uma vitória em cima dos seus maiores rivais, o MBP, por 2x1. Outro fator aumenta a emoção disso: ganharam de virada. Liderados neste ano pelo grande futebol jogado por Mário, movido a chá de cogumelo e covers no Instagram, e GG, dopado de substâncias desconhecidas. A dupla coordenou a maior parte das jogadas do BJU. O conjunto alvinegro marcou bem os avanços do MBP, apesar de sofrer alguns sustos. Mas a boa partida feita por eles acendem as esperanças de ir para a final. Entretanto, é preciso vencer o PCC na última rodada e torcer por tropeço do MBP, ou do MCB. Para que a reação não tenha sido tardia, toda mandinga e pedidos aos santos serão válidos para o BJU alcançar mais uma final da CPF. Pelo lado azul, a partida poderia selar a inédita terceira final consecutiva do MBP em CPF's, buscando o tricampeonato. Porém, quis o destino que o torneio neste ano tivesse um pouco mais de emoção na sua reta final. Derrota do MBP e tudo embolado na briga pela final. Uma partida abaixo do normal, com Wagner sumido - mesmo marcando o gol azulino -, Henrique errando todo tipo de chute e Igor sem tanta inspiração. Isso custou caro ao bidu, que agora precisa vencer o IML de toda forma na última rodada - convenhamos, todos sabemos que não é difícil assim -. Pelo bom desempenho nas partidas anteriores da CPF, não há motivo para desespero. Porém, outra partida apática e a combinação de resultados, podem custar o sonho do tri tão almejado pelos idosos de azul.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Resenhas | 4ª Rodada | CPP 2018


Os resultados do último sábado praticamente definiram os rumos da CPP 2018. Deixando o penúltimo dia da competição só para a gritaria e dedo no cu, criando terreno para finalíssima da outra semana.

IML 6 x 0 MCB:
Joyce está rindo risadas com desempenho do IML e sua nova
função de narradora
"Lá vem elas de novo, virou passeiiiiiio, goool do IML". Parafraseando um narrador de TV de um torneio menos glamouroso, temos o resumo da partida entre as coveiras e as não-coloridas do MCB. Com 6 gols da dupla LuNath, o esquadrão amarelinho encaminhou a classificação para a inédita final, mostrando competência no ataque e um toque de bola envolvente, além de continuar com sua defesa intacta. Com a ausência de Iris, a Maizena Atômica contou com uma boa atuação de Suzana e Helô que se revezaram e contribuíram muito com a consistência defensiva da equipe. As debutantes da CPP, por sua vez, se portaram bem durante parte do primeiro tempo, mas ao levarem o primeiro gol acabaram se desencontrando em campo e não resistindo ao futebol das zumbis. As novatas devem encerrar sua participação neste ano no jogo contra as marijuaneiras, vice-líderes da competição, que estão na luta para se classificar para a final e precisam da vitória.


PCC 0x4 THC

Camila se pendura elegantemente em Júlia. Ao fundo Luane,
entristecida, ajeita seus óculos.
A decisão antecipada pela segunda vaga na final, entre chapadas e embreagadas, começou até equilibrada. De um lado, Camila e Júlia apostavam em suas triangulações envolventes cheias de malemolência, do outro, Luane e Welda se defendiam até o limite de onde o alcolismo deixava, explorando as sequelas do THC. Foram as alcoólotras que quase abriram o placar. Uma bola que parecia fácil para goleira cinza, se não estivesse chapada, respingou em suas canelas e sobrou para Welda, que retornou ao time após suas colegas a lembrarem que tinha jogo. Sozinha, com o gol aberto e a goleira do THC fumando um baseado do lado da trave, Welda Rainha mandou para a fora a chance do PCC abrir o placar e possivelmente mudar a história do jogo. O THC não perdoou. O primeiro tempo terminou, o público presente, com suas cervejas litrão e copos plásticos na mão, achara que o equilíbrio seria até o fim. Engano. Talvez a ressaca finalmente tenha batido no PCC, que levou os 4 gols na etapa complementar, provavelmente de Júlia e Camila (o redator tinha ido no banheiro nessa hora). Para o THC, a vitória contra as calouras garante a vaga na final. Ao PCC, cabe amargar  com cerveja quarta decisão pelo bronze seguida.


MBP 3x1 BJU

Quem é quem?
O último confronto de biduzetes e ovelhas negras seguiu a tradição. O BJU é um time histórico na CPP, após conseguir mais uma derrota, a vigésima quarta consecutiva, as morsas estão a mais uma derrota de alcançar o feito de ter perdido literalmente todos os jogos da CPP em sua história até o momento. Numa partida recheada de agregadas pelos dois lados, simplesmente todos os tentos foram anotados por jogadoras não originais do time. Mesmo com Emylaine e Denise em campo, o primeiro gol do BJU em 2018 foi marcado por uma agregada. Lívia Caloura pode ter passado em branco nos jogos do MCB, mas pelo menos como agregada do BJU deixou o dela. Em clima de azaração sem comprimisso, o jogo seguiu tranquilo, num bonito degradê de cores agregadas em que quem estava de fora não tinha como saber qual era o jogo em questão e quem era de cada time. Ao BJU resta perder mais um jogo, contra o PCC. Já as bidus surpreenderam esse ano, e não só garantiram a vaga na disputa pelo bronze, como ainda tem chances de ir à final. Basta ganhar de 5x0 do IML. Melhor abrir mais um Quinta do Morgado mesmo.


domingo, 3 de junho de 2018

Artilharia | 4ª Rodada | CPF 2018

Pedro Calouro marcou só um gol, mas além de ser determinante na vitória magra sobre o IML, foi sufiente para ampliar ainda mais a folga na artilharia, já que os principais concorrentes passaram em branco.

6 gols
Pedro Calouro Camisa 10 (MCB)

4 gols  
GG (BJU)

3 gols  
Mário Bros (BJU)
Wagner (MBP)

2 gols
El Mago (MBP)
Henrique (MBP)
Heitor (MBP)
Rai (THC)
Lucas Carpina (THC)
Guilherme (BJU)

1 gol
Igor (MBP)
Amauri (PCC)
Cunhado* (THC)
14 (IML)
Ícaro (MBP)
Vinícius (MCB)
Dettogni (MCB)
Hugo (BJU)
Jeffrey (PCC)
Matheus (PCC)
Vinícius (THC)
Ziani (BJU)
*Agregado

Artilharia | 4ª Rodada | CPP 2018

Com atuação irretocável, Camila finalmente despontou sozinha na artilharia. SoNath, que marcou nada menos que 4 gols contra as calouras, encostou, enquanto Luane PCC estacionou nos 4 gols.

7 gols
Camila (THC)

5 gols
SoNath (IML)

4 gols
Luane (PCC)

3 gols
Luane B (IML)
Alice Duque* (MBP)

2 gols
Júlia (THC)
Amanda (MBP)*

1 gol
Laranaoclara (MBP)
Camila* (PCC)
Lívia Caloura* (BJU)

*Agregada